O que é meditação ?

No último final de semana, esotéricos de todo o planeta promoveram uma meditação global, com o objetivo de ajudar-nos durante a pandemia que enfrentamos.

A "meditação da linha do tempo de ascensão" foi um convite para que os líderes espirituais se unissem a milhões de praticantes espalhados pelo planeta, aproveitando a oportunidade da abertura de um portal astrológico, formando uma consciência única, capaz de iniciar um processo de correção da rota da humanidade (sua linha do tempo).

Mas o que é meditação?

Quem procurar a definição na internet irá encontrar respostas variadas, que vão desde "um conjunto de técnicas para aumentar a concentração" até "não pensar em nada".

Quase sempre, as definições e explicações confundem o processo com o resultado.

Eu prefiro dizer que meditar é serenar a mente consciente, diminuindo sua atividade e trazendo a nossa atenção para o momento presente.

Numa visão neurológica, o estado meditativo é aquele onde as ondas Alpha (8 a 13 Hz) são predominantes no cérebro, que caracterizam um estado de atenção plena.

Meditar pode ser complicado para iniciantes, principalmente se optarem por seguir as inúmeras receitas disponíveis para as mais diversas finalidades.

O simples fato de querer meditar pode ser um empecilho para a meditação, principalmente nas primeiras tentativas, quando não sabemos exatamente para onde estamos indo. Durante a prática, ainda que involuntariamente, nossa mente consciente segue questionando o que estamos fazendo, lembrando das instruções, se perguntando se está dando certo e imaginando se vamos conseguir e como será quando chegarmos lá. Muitas pessoas desistem por conta disso.

Mas eu tenho uma boa notícia. Você já medita várias vezes por dia. Apenas não se dá conta disso. Qualquer tarefa simples, mas que requeira atenção plena, pode levar você a um estado meditativo. Enfiar a linha no buraco da agulha, procurar um erro numa imagem (tipo jogo dos 7 erros) e cortar as unhas do pé são alguns exemplos de atividades que, potencialmente, nos conduzem a estados meditativos por alguns instantes. Durante a execução dessas atividades, ainda que por poucos segundos, sua atenção estará totalmente dedicada à execução da tarefa e sua mente consciente permanecerá em silêncio.

As culturas orientais são pródigas em pequenos rituais que funcionam como processos de meditação dinâmica.

A meditação dinâmica é, talvez, a forma mais fácil de começar.

Ensaiar uma coreografia simples de dança em frente ao espelho, prestar atenção à respiração, observando e sentindo os pulmões se encherem de ar e se esvaziarem, escutar os sons à sua volta, focalizando a atenção em cada um deles separadamente (ou fazendo isso com os instrumentos de uma música clássica) ou acompanhar atentamente o movimento das nuvens são algumas das atividades que podem ser praticadas e que, gradativamente, disciplinarão sua mente consciente e facilitarão a entrada em um estado meditativo.

Também podemos experimentar a meditação induzida, na qual alguém nos "guia" para um estado de relaxamento, contemplação e atenção.

Independentemente do processo, o importante é "desapegar" do resultado. A expectativa gera ansiedade, que excita a mente consciente.

Apenas escolha as atividades e pratique. Sem que você se dê conta, estará no caminho da meditação.

Em estágios mais avançados, essa capacidade de serenar a mente consciente, além de trazer benefícios psicológicos, neurológicos e emocionais importantes, aumenta a capacidade de realização. Ficamos mais "focados" e nossa mente consciente, livre do ruído dos pensamentos fortuitos, é muito mais eficiente.

Mesmo que você não acredite na possibilidade de mobilizar energias planetárias e se conectar com o Universo, vale a pena dedicar-se à prática da meditação.

Em algum outro momento, irei sugerir outras práticas e contar algumas histórias interessantes sobre a arte de meditar.




65 visualizações2 comentários

© 2020 by Flávio Ferrari